Rio Janeiro adere à Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

Comece a emitir NFC-e hoje mesmo.

Simples, Rápido e Fácil. Menos Custo, Mais Vendas para sua empresa – Contato (92) 3236-1235 Experimente é Grátis

No ultimo dia 13 de maio, o Estado do Rio de Janeiro aderiu  ao Programa Nacional da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e). A iniciativa tem como objetivo promover a implantação de um modelo nacional de documento fiscal eletrônico que substitua o sistema de emissão em papel. Além da simplificação do processo atual, a medida permitirá o acompanhamento em tempo real das operações comerciais feitas pelo fisco.
A partir da publicação da medida, o Estado iniciará o processo de mudança, que tem prazo limite de três anos. A expectativa da Secretaria de Fazenda é de que as empresas antecipem suas adesões em função dos benefícios do novo sistema.
SisCommerce PDV – Soclução em transmissão de NFC-e A medida dará mais segurança aos consumidores quanto à validade e autenticidade das operações comerciais realizadas. Eles poderão consultar as notas fiscais na base de dados da Secretaria de Fazenda. Além disso, a iniciativa vai eliminar consideravelmente a circulação de papéis impressos em notas e cupons fiscais hoje utilizados, reduzindo custos para as empresas e desperdício de papel.
Comércio fluminense terá custos reduzidos
Os estabelecimentos comerciais também vão economizar com equipamentos e materiais atualmente usados no processo. Toda a transparência gerada pela NFC-e garantirá que os fiscais da Secretaria de Fazenda sejam realocados para outras atividades, já que a dinâmica de trabalho destes profissionais ainda exige ações de fiscalizações frequentes nas lojas fluminenses.
A representante das empresas de varejo no Programa Nacional da NFC-e, Juliana Domingos, ressaltou a importância da iniciativa.
Benefícios para o varejo
“O programa traz benefícios significativos para o varejo ao reduzir custos, com a possibilidade de expansão, além da diminuição de obrigações acessórias. São muitas horas demandadas para isso. Além disso, o Fisco vai poder ter em tempo real as informações sobre faturamento. Isto trará agilidade ao processo”, afirmou Juliana.
Fonte: cliquediario.com